Esta revisão sistemática trouxe dados muito importantes sobre as lesões demostradas nos exames de imagem. Os pacientes relatados abaixo NÂO APRESENTAVAM DOR ou qualquer outro sintoma clínico ligado à dor. 

Os achados demostraram que : 

– 1.211 pessoas entre 20 e 70 anos – 87% com PROTUSÂO DISCAL. 

– 3.110 pessoas com 20 anos 37%, 80 anos 96% com DEGENARAÇÂO DISCAL  

– 44 pessoas (20 e 68 anos) 43 tinham pelo menos uma anormalidade nos meniscos 

– 53 pessoas (45-60 anos) 72% tinham lesão no ombro 

– 45 pessoas (15-66 anos) 69% tinham sinal de lesão no labrum 

Como dito essas pessoas não apresentaram sintomas de dor. O que isto quer dizer na prática ¿ Que o envelhecimento que vemos fora do nosso corpo, demostrado pelas rugas, cabelos brancos, flacidez da pele, este “desgaste” também acontece dentro do nosso corpo, demostrado pelo desgaste ósseo, desgaste das cartilagens, perda da hidratação dos discos intervertebrais, mas isto não significa que seja patológico, e gere dor, mas sim é um processo natural, que  muitas vezes não está necessariamente associado com a dor. 

Por isso se você tem dores na lombar, cervical, joelhos,… não fique “apegado” aos seu exame de imagem para justificar a sua dor, com uma boa avaliação fisioterápica podemos organizar os desequilíbrios musculares e, desta forma melhorar as dores, mesmo ainda tendo a presença da lesão. 

Na imagem estão ilustradas as anormalidades que apareceram em exames de imagem de pessoas SEM NENHUM SINTOMA. 

Você tem dor? Ex. dor lombar, dor no joelho, dor no ombro ou pescoço; fez uma ressonância e levou um susto! Calma, essas alterações podem estar presentes mesmo em pessoas que não tem dor. 

Alterações nos exames de imagem podem ser como rugas ou cabelos brancos, tendem a aparecer com o passar dos anos. 

Sugestões: 

  • respire fundo 
  • mantenha-se ativo 
  • converse com o seu Fisioterapeuta 
× WhastApp